Notícias

Limpar materiais de laboratório exige solução e produto específicos

Publicado em 02 de março de 2019

Procedimentos de higiene são indispensáveis no ambiente de trabalho. Especialmente quando se trata de um local em que a contaminação é bastante propícia e que isso pode interferir diretamente nos resultados. Pensando nisso, os profissionais devem ter uma atenção especial ao limpar materiais de laboratório, não só pelo risco da contaminação, mas também para evitar possíveis acidentes com as vidrarias. Por isso, os utensílios específicos para essa finalidade são grandes aliados, uma vez que permitem uma limpeza adequada e profunda, conforme determinam os órgãos competentes como a Anvisa.

Vários são os tipos de material utilizados nos laboratórios, como vidro, quartzo, metal, plástico, borracha e porcelana, cujo o cuidado requer uma atenção diferenciada, pois cada um deles exige um tipo de manuseio e com os devidos reagentes. A vidraria, por exemplo, necessita ser limpa com detergentes especiais e água destilada, de modo a conservar as suas propriedades. Para secar, os tubos devem ficar invertidos na estante; os volumétricos podem secar naturalmente, enquanto os não volumétricos podem ser colocados nas estufas. Já para limpar materiais de laboratório que sejam metálicos, a recomendação é utilizar álcool 95%, seguido de éter e armazená-lo em recipiente forrado com papel alumínio com glicerina.

Ao limpar materiais de laboratório, é comum se deparar com situações em que os resíduos são de difícil remoção, principalmente em lâminas. Nesses casos, pode ser feita uma solução sulfocrômica, que consiste em 10% de dicromato de potássio em ácido sulfúrico concentrado. Lembrando que é preciso estar atento às propriedades desidratante e corrosiva que essa solução apresenta, de modo a tomar as devidas precauções no momento da manipulação.

 

Fonte: Weinberger